16 de maio de 2018

Pão Italiano facílimo


Essa receita eu aprendi com a maravilhosa Rita Lobo, receita de seu avô.💗
Pensa em um pão maravilhoso. Agora multiplica.
Agora pensa em um pão fácil. É esse!
Já perdi as contas de quantas vezes já preparei.
Inúmeras vezes já dei de presente, já fracionei a receita, já alterei e é sempre sucesso. Já troquei a água por soro de iogurte, já acrescentei ervas, azeite, o bagaço das nozes desse sorvete (SUPER RECOMENDO)... enfim, façam!


Pão Italiano do Vovô Rago
(receita Panelinha)

3 xícaras de farinha de trigo
1/4 de colher (chá) de fermento biológico seco
1 colher (chá) de sal
1 e 1/2 xícara de água
Farinha extra para polvilhar

Como fazer?
Em uma tigela grande, misture a farinha com o fermento e o sal. Junte a água e misture até ficar homogêneo. Cubra a tigela com filme PVC e deixe descansar por pelo menos 8 horas (e no máximo 18).
Passado esse tempo, pegue uma tigela, cubra com um pano de prato limpo e polvilhe farinha de trigo generosamente.
Polvilhe mais farinha numa bancada e despeje a massa. Com a ajuda de uma espátula (ou com as mãos enfarinhadas), modele a massa formando uma bola. Coloque o pão na tigela preparada com a dobra do pão para cima.
Deixe o pão descansar enquanto pré-aquece o forno.
Ligue o forno na temperatura máxima e coloque uma panela (com a tampa) de ferro, cerâmica ou inox dentro. O importante aqui é que a panela seja grossa e que não tenha pegadores de plástico ou madeira. (Eu já usei panela de ferro fundido e de inox, já inclusive assei na forma, coberto com a panela de inox hahahahaha)
Deixe a panela aquecendo dentro do forno por meia hora. Retire a panela, polvilhe farinha no fundo e com cuidado, vire o pão lá dentro. Tampe e leve ao forno.
O tempo aqui varia de forno, mas o meu geralmente fica 20-30 minutos com a tampa e depois a retiro, abaixo o forno para médio e deixo mais uns 20-30 minutos, até dourar.
Retire o pão da panela e coloque sobre uma grade para esfriar completamente. Depois de frio, eu retiro o excesso de farinha com um pincel.


Sucesso garantido para comer com manteiga, fazer petiscos, entradas, sandubas, bruschettas... e depois de velho, ainda vira croûtons e farinha de rosca! Aproveitem!

Beijocas!





14 de maio de 2018

Tomate Seco + Pesto

Um dia comprei tomates demais.
Não resisti. Avistei um pequeno produtos, daqueles que plantam em casa mesmo, vendendo seus tomates italianos reluzentes... foi mais forte que eu.
Num momento de impulso, comprei duas bandejas enormes e trouxe para casa. Como os dias estavam muito corridos, acabei postergando sua utilização. Quando eles estavam quase perdendo, tive que utilizar, não poderia jogar fora. De jeito nenhum.
Metade eu utilizei num molho de tomates assado. Sem muito mistério: piquei os bonitos grosseiramente, juntei cebola e alho picados, temperei com sal, pimenta, orégano e azeite. Levei para assar até ficar bem macio e bati tudo no liquidificador. Aqui também tem duas receitas maravilhosas e que vale a pena manter no congelador.
Com a outra metade, preparei tomates secos, pois há tempos eu queria preparar um pesto.
O pesto eu fiz para dar de presente (quem ganhou, amou), olha que ideia bacana, né?
Existem 1000 maneiras de preparar essas receitas internet a fora, mas vou mostrar o modo que eu gosto de fazer. Espero que vocês gostem e façam! :)



Tomate Seco da Máh

Ingredientes
Tomates italianos bem maduros, cortados ao meio (mantenho as sementes e polpa)
Para cada 2 colheres (sopa) de açúcar, misturo 1 colher (chá) de sal, ervas e pimenta do reino moída na hora, a gosto.
Azeite extravirgem,para finalizar

Como fazer?
Fiz dois cortes na polpa de cada tomate, só para facilitar a saída do líquido. Coloquei os tomates em uma forma, com o corte virado para cima e polvilhei a mistura de sal e açúcar e levei ao forno, temperatura baixa.
De tempos em tempos (10-15 minutos), escorri o líquido e virei os tomates, até ficarem sequinhos e enrugados. Aqui levou pouco mais de 1 hora. Vai depender da quantidade que você irá preparar.
Quando estiverem frios, é só guardar em vidros esterilizados, com azeite. Coloque-os fazendo camadas com o azeite e aperte-os bem para retirar as bolhas de ar que possam ficar.
Caso queira adicionar mais sabor a conserva, coloque alguns raminhos de ervas frescas, dentes de alho e grãos de pimenta do reino. Eu conservo na geladeira.



Pesto de Tomate Seco da Máh

2 xícaras de tomate seco
1/3 de xícara de castanha de caju torrada
1/4 de parmesão ralado grosso
Suco de limão, azeite, sal, pimenta e ervas frescas (usei tomilho) a gosto.

Como fazer?
Bata todos os ingredientes no processador (ou liquidificador, ou pilão ou pique fino na faca) até obter uma pasta cremosa. Acerte o tempero de acordo com o seu gosto. Conserve em vidros esterilizados, na geladeira.

Beijocas e até a próxima! :)

16 de abril de 2018

Carne de Sol na Abóbora


Quase um mês sem aparecer por aqui né?
Tá corrido, minha gente! Socorro!
Depois de 8 anos, resolvi voltar a estudar, tô sofrendo para pegar o ritmo! Mas já já me acostumo!
A cozinha por outro lado, não pára. Só não consigo trazer as receitas com a frequência que eu gostaria. Essa, por exemplo, estava aqui há meses para eu postar!
A receita é bem simples, vou ensinar um truque mara e eu só queria ter tirado uma foto melhor, mas acreditem... Vale a pena.
Essa receita fiz há alguns meses para comemorar meu 52º mêsversário de casamento. O marido que não era fã de abóbora (veja bem, ERA), se rendeu aos encantos dessa delícia. Sou muito persuasiva.  :)
O truque aqui é o seguinte: para preparar a carne, já saímos com um caldo prontinho, para usar em outras preparações. É da mesma forma que preparo a carne e o caldo para fazer o arroz carreteiro, que trarei aqui para o blog em breve.



Carne de Sol na Abóbora da Máh

1 abóbora japonesa média
1/2 copo de requeijão cremoso
2 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola cortada em fatias finas
2 dentes de alho picados
Coentro picado a gosto
Queijo parmesão ralado na hora, sal, pimenta e azeite a gosto

Para a carne
400g de carne de sol cortada em cubos grandes (tento encontrar com pouco sal)
1/2 cenoura
1/2 cebola
1 talo de salsão (ou alguns talos de salsinha)
1 folha de louro
3 cravos da índia
3 grãos de pimenta do reino
Ervas frescas a gosto
1,5 litros de água

Como fazer?
Lave bem a abóbora e seque. Com o auxílio de de uma faquinha afiada, faça uma 'tampinha' na abóbora. Retire todas as sementes, tempere com sal e pimenta e unte a abóbora por dentro e por fora com o azeite. 
Tampe a abóbora e envolva-a com 2-3 folhas de papel alumínio e leve ao forno médio por mais ou menos 30 minutos. Passado o tempo, verifique se a abóbora está macia por dentro mas ainda firme por fora. Cuidado para não deixar assar demais, senão ela irá rachar. Raspe com cuidado a polpa da abóbora, tomando cuidado para não deixar a casca fina demais.
Prenda a folha de louro na cebola usando os cravos e junte com o restante dos ingredientes da carne numa panela de pressão. Leve para cozinhar por mais ou menos 30 minutos após pegar pressão.
Retire a pressão da panela com cuidado. Verifique se a carne está macia, caso não esteja, volte para cozinhar por mais alguns minutos.
Desfie a carne (coe e congele o caldo). Refogue a cebola na manteiga por 1 minuto e depois junte o alho. Junte a carne desfiada e refogue por alguns minutos, até começar a dourar. Junte a polpa da abóbora e mexa bem. Prove e acerte o sal e a pimenta. Junte o requeijão cremoso e o coentro picado, misture bem e desligue.
Coloque o creme dentro da abóbora, cubra com o queijo parmesão e leve nov
amente ao forno somente para gratinar.

Servi essa delícia com arroz, farofinha de cebola com castanha de caju e salada de escarola. Sucesso total! 

Espero que gostem!
Beijocas e até a próxima! :)


8 de março de 2018

Um brigadeiro para os aniversários ficarem ainda mais especiais


Brigadeiro já lembra aniversário né? É tão obrigatório quanto o bolo, pelo menos pra mim.
Foi assim que a Rita Lobo apresentou essa receita, sempre presente nos aniversários de seus filhos.
Ano passado, por uma questão pessoal, fiquei alguns (doloridos) meses sem comer chocolate.
Foi tenso.
Durante esse tempo, planejei como voltaria a consumi-lo. Não poderia ser de qualquer jeito, afinal, foram meses de jejum.
Virei para o Kaio e falei que estava sonhando com um brigadeiro, mas brigadeiro de verdade, nada de achocolatado (que já não entra aqui em casa).
No dia em que eu finalmente estava liberada para "enfiar o pé na jaca", comprei uns 4 tipos diferentes de chocolate para preparar um bolo, que levaria chocolate na massa, recheio e cobertura, e não sendo suficiente isso tudo, ainda seria coroado com muitos brigadeiros.
Essa receita, ao contrário da minha tradicional que faço com cacau, vai chocolate amargo picado.
Que pecado.
E o granulado é de chocolate mesmo!
Eu nunca comi brigadeiro melhor na vida.
Sério.
De verdade.
Receita oficial de brigadeiro de panela pra comer na TPM e para os aniversários ficarem ainda mais especiais.


Brigadeiro
daqui, rende cerca de 30 unidades

1 lata de leite condensado
50g de chocolate amargo picado (usei um com 85% de cacau)
1 colher (sopa) de manteiga (prefiro com sal)
Granulado (de verdade), coco queimado, cacau em pó ou castanhas trituradas, para enrolar


Como fazer?
Misture o leite condensado, o chocolate e a manteiga em uma panela de inox.
Leve ao fogo baixo, mexendo sempre com uma espátula. Quando o brigadeiro começar a desgrudar do fundo da panela, despeje a mistura em um prato fundo (eu gosto de cobrir com um papel filme grudado a superfície do brigadeiro). Deixe esfriar completamente em temperatura ambiente.
Unte a mão bem levemente para enrolar os brigadeiros e passar na cobertura escolhida.

Acredito que quando você terminar de enrolar, terá pelo menos 5 brigadeiros a menos para servir.


Espero que gostem!
Beijocas e até a próxima! :)




5 de março de 2018

Brigadeirão para voltar à infância


Vi essa receita há algum tempo e coloquei-a na minha lista imaginária de 'receitas que farei'.
Ela ficou lá por muito tempo, até semana passada, quando finalmente resolvi prepará-la.
Tão deliciosa, me arrependi de não ter feito antes. Me transportei para minha infância, quando minha irmã fazia o 'pudim brigadeiro' que ela tinha anotado em seu caderninho de receitas.
Tem receitas que são como um abraço, um carinho e trazem uma lembrança tão boa do que a gente já viveu. O pão de batata que a mamãe fazia, a torta da tia, o quibe do tio e agora, esse brigadeirão, que  embora não sejam os preparos 'originais' que minha família fazia, me levam lá para aquele lugar sem preocupações, sem maldades, em que eu podia brincar na rua o dia todo e minha 'responsabilidade' era tirar boas notas. Bons tempos.

Quando criança, sem critério e paladar, usávamos achocolatado e granulado que não tem nada de chocolate, hoje, com cacau e raspas de chocolate eu vejo que sim, o que é bom pode ficar infinitamente melhor.


Brigadeirão
Receita Panelinha
(fiz meia receita e rendeu 6 porções)

1 lata de leite condensado
300ml de leite
3 ovos
1/2 xícara de cacau em pó
1 colher (sopa) de manteiga em temperatura ambiente
1 pitada de sal
Manteiga e açúcar para polvilhar
Raspas de chocolate para decorar


Como fazer?
Unte e polvilhe com açúcar uma forma de 20cm e reserve. Bata todos os ingredientes no liquidificador até o cacau dissolver. Coloque a mistura na forma. Asse em banho maria em temperatura médio-baixa (mais ou menos 150ºC) por 1 hora.
Deixe esfriar em temperatura ambiente e leve a geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir.
Passe uma faquinha nas laterais para desenformar e decore com as raspinhas de chocolate.
Sirva e seja feliz.


Beijocas e até a próxima! :)