28 de fevereiro de 2015

Dadinhos de tapioca e queijo coalho


Essa receita é bem famosa, criada, se não me engano, pelo Rodrigo Mocotó.
Eu já havia feito uma vez, anos atrás, mas foi frustrante. Assei e não ficou muito bom, então fritei, como é feito originalmente, e grudaram uns nos outros. Desisti.
Ai, dia desses eu tinha tudo em casa e fui fazer. Dessa vez fiz na fritadeira sem óleo, ficou deliciosoooo!
Mas funciona assado ou frito por imersão, façam como acharem melhor. Se for assar, unte bem um papel manteiga e disponha-os e se for fritar, coloque pequenas porções de cada vez.
Não sei se é a receita correta, vou colocar como eu fiz.


Dadinhos de tapioca e queijo coalho

600 ml de leite
250g de tapioca granulada (não é aquela de fazer na frigideira heim?!) 
300g de queijo coalho ralado
2 colheres (chá) de sal (a quantidade vai depender do quão salgado está o queijo, então, prove)

Como fiz?

Levei o leite e o sal ao fogo, quando começar a levantar fervura, joguei a tapioca e mexi bem. Agreguei o queijo e misturei até engrossar, não precisa ficar duro, pois ele termina de engrossar ao esfriar.
Coloquei em um refratário untado e deixei esfriar. Cortei os cubos e fritei até dourar.
Sirva com geleia ou o molho de sua preferência. Eu fui de geleia de pimenta. DELÍCIA!

Beijocas ;)

27 de fevereiro de 2015

Mousse Ferrero

Não vou me alongar muito na explicação de como inventei essa receita, apenas acreditem quando eu digo que ficou INCRÍVEL!
Sério!
Façam!
Se possível, agora!


Mousse Ferrero da Máh
(rende duas porções)

1/2 xícara de Nutella (ou qualquer creme de avelã e cacau de qualidade)
1 colher (sopa) de cacau em pó
2 colheres (sopa) de açúcar
2 claras
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de avelã trituradas grosseiramente
2 bombons Ferrero Rocher

Como fazer?

Misture as claras com o açúcar num bowl e leve ao banho-maria somente até derreter o açúcar e aquecer levemente as claras. Retire do banho maria e bata na batedeira até esfriar e ficar bem firme.
Misture vigorosamente 1/3 das claras à nutella e acrescente a pitada de sal, depois acrescente os 2/3 restante delicadamente, misturando de baixo para cima, com cuidado para não perder todo o ar das claras.
Disponha no recipiente desejado, polvilhe cada um 1/2 colher das avelãs trituradas e decore com o bombom!
de comer de joelho! :)


Beijocas geeeente :*

21 de fevereiro de 2015

Sorvete de frutas vermelhas


Eu ando muito sorveteira, não acham?
Mas é que depois que a gente prova um sorvetinho caseiro, sem sabor artificial, emulsificante e todas aquelas coisas que a gente ão sabe o que é, vicia. VICIA, MESMO.
Depois que fiz o de pistache, exatamente no dia seguinte, fiz esse de frutas vermelhas.
Ah, gente, o feriado estava chegando, precisava estar preparada :D
Queria um sorvetinho de frutas, azedinho... ficou uma delícia! Vamos lá?


Sorvete de frutas vermelhas da Máh

Creme base
1 xícara de creme de leite fresco
3 xícaras de leite integral
4 gemas
1 e 1/2 xícara de açúcar (acho que dá próxima usarei apenas 1 xícara, pois eu gosto beeeeeem azedinho)

Para finalizar:
3 xícaras de frutas vermelhas diversas, geladas ou congeladas* (usei 2 xícaras de morango, 1/2 xícara de mirtilo e 1/2 xícara de framboesa)
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
Suco de 1 limão
1/2 colher (chá) de sal


Como fazer?

Misturei o leite, creme de leite, açúcar e as gemas. Levei ao fogo mexendo constantemente até começar a engrossar. Não deixe ferver.
Passe por uma peneira, deixe esfriar (eu mexia vez ou outra para não criar aquela pelinha) e leve a geladeira por algumas horas, ou de um dia para o outro, que foi o caso.
No dia seguinte bati as frutas com o extrato da baunilha, o suco de limão e o sal. Misturei com o creme e levei a sorveteira conforme o fabricante.

*É importante estarem pelo menos geladas para não modificar a temperatura do creme. Usei os morangos gelados e as demais frutas congeladas.


Beijocas geeente ;)

17 de fevereiro de 2015

Sorvete de pistache (e brigadeiro de brinde)


Eu amo pistache!
Desde pequena adoro o sorvete, isso porque, os sorvetes que eu tomava quando criança tinham tudo, menos o danado do pistache. Criança não tem muito noção do sabor verdadeiro das coisas, na maioria das vezes só conhecem os sabores artificiais, o que é muito, muito, muito triste.
Ai a gente cresce e descobre o preço do pistache. Confesso que demorei um tempinho até criar coragem de preparar esse sorvete que eu namorava há anos.
A gota d'água foi quando, num ato de loucura, comprei um sorvete de pistache de uma certa marca, e ao ler a composição, NÃO TINHA o ingrediente. Ai gente, desculpa, mas me deu um ódio sem tamanho! Eu não sou de ficar lendo rótulo nem nada, mas se eu compro uma coisa do sabor X, o mínimo que se espera que tenha o ingrediente X na lista de ingredientes.
Foi um trauma.
Continuando... comprei os bonitinhos, escondi para o marido não comer, peguei a receita - que eu já sabia de trás para frente - e fui para o meu templo sagrado a cozinha.
Daí me lembrei o que me incomodava tanto na receita: o fato de jogar o bagaço do pistache fora. Eu não consegui, não mesmo e por dois motivos: 1- é gostoso demais para ir parar o lixo assim; 2- É CARO DEMAIS para ir parar no lixo assim.
Dei meu jeito. Adaptei apenas uma coisa ali e acolá e surgiu esse sorvete que eu quero me esconder com o pote atrás da porta e comer sozinha. Valeu todo o trabalho, valeu toda a espera, valeu tudo. Se já era um dos preferidos, hoje arrisco dizer que ele desbancou o de limão*. O_o


Sorvete de Pistache (delicioso, escandaloso, perfeito)
Adaptado daqui e daqui

1 e 1/2 xícara de pistache sem sal e cru
3 xícaras de leite integral
1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de açúcar
5 gemas
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1/2 colher (chá) de sal

Como fazer?
Misturei 1 e 1/4 de xícara de pistache com o leite e o creme de leite numa panela e levei ao fogo alto. Deixei ferver por três minutos e deixei em infusão, com a panela tampada por mais ou menos 45 minutos.
Após isso, a mistura já havia esfriado, então bati no liquidificador e coei com um pano bem fininho, espremendo bem. Reservei o bagaço e levei o leite de pistache para aquecer.
Em outra tigela grande, bati com o fuet as gemas com o açúcar até ficar esbranquiçado. Fui colocando o leite quente, de concha em concha, mexendo bem para não cozinhar as gemas. Depois de agregar todo o leite, voltei a mistura para a panela e levei ao fogo baixo até a mistura engrossar levemente, mas sem ferver (o ponto é quando você passa o dedo nas costas da colher de pau e o creme não escorre de imediato).
Passei o creme numa peneira fina e coloquei num recipiente que tem tampa. Misturei metade do bagaço do pistache, deixei esfriar, tampei e levei a geladeira de um dia para o outro.
No dia seguinte, misturei metade do bagaço e o 1/4 de xícara de pistache que havia sobrado, cortados ao meio, o sal e a baunilha. Levei a sorveteira conforme o fabricante e depois ao congelador para firmar.

Sobre a sorveteira: muita gente tem me perguntado sobre a marca que eu utilizo, a minha é essa aqui, que me atende maravilhosamente bem. Eu tinha uma menor, mas troquei por essa que, na embalagem diz que suporta 1 litro, mas ela cabe um pouco mais. o custo benefício é excelente. 


Brigadeiro de pistache
(inventado na hora só para não jogar o bagaço fora, ahaaaaaaaaaam...)


1 lata de leite condensado
Metade do bagaço do pistache
1 colher (sopa) de manteiga sem sal

Como fazer:
Misture tudo e uma panela grossa, com o fogo baixo até desgrudar da panela. :)


*Mentira, estão empatados.

Beijocas e até a próxima :)

8 de fevereiro de 2015

Quindim


Essa semana fiz um bolo de aniversário e o cobri com merengue suíço, dai sobraram algumas claras.
Juntei o útil ao agradável e preparei quindins *----------------*
Já havia um bom tempo que queria prepará-los, mas dava uma preguiçinha de usar as claras. Aconteceu o inverso e aconteceu os quindins! Nunca tinha feito e deu super certo. Não sei se a receita original é essa, mas vamos lá!



Quindim da Máh
(rendeu 5 unidades)

6 gemas peneiradas
1/2 xícara de açúcar
1 xícara de coco fresco*
1/2 xícara de leite de coco*
1 pitada de sal

Como fazer?
Misture as gemas com o açúcar, acrescente o coco e o leite de coco e misture. Disponha em forminhas untadas com manteiga e polvilhadas com açúcar e asse em banho maria, temperatura média, por aproximadamente 30 minutos, ou até firmar.
Desenforme morno e conserve na geladeira.


*O coco fresco que eu usei foi a 'sobra' do leite de coco caseiro que eu fiz, batendo 1 coco fresco, sem aquela pelezinha marrom com 2 xícaras de água morna. Coei, usei parte do leite de coco e parte do coco que ficou na peneira ^^

DE-LÍ-CIA!